CEFEP reúne articuladores das Escolas locais e regionais de Fé e Política para iniciar processo de escolha da Coordenação Ampliada

O CEFEP reuniu no último dia 02 de junho, de forma remota, as articulações das Escolas locais e regionais de Fé e Política que mantém relação com o Centro. Estiveram presentes cerca de 60 pessoas de vários estados brasileiros e de todas as regiões, de Norte a Sul de país.

O objetivo principal da reunião foi a apresentação da proposta da criação de uma Coordenação Ampliada do CEFEP. A ideia é que essa coordenação seja formada por um representante de cada regional da CNBB mais a Coordenação Executiva já existente. Essa nova estrutura atende a uma sugestão apresentada no Seminário de 10 anos do CEFEP, realizado em 2015 para efetivar uma maior representatividade regional das Escolas de Fé e Política existentes no país na coordenação da instituição. De acordo com Pe. Paulo Adolfo, secretário executivo do CEFEP, a Coordenação Executiva apresenta a seguinte proposta de atribuições da Coordenação Ampliada, que poderão ser revistas pela própria Ampliada, assim que constituída:

– Contribuir de forma consultiva com a reflexão sobre o ser e toda a ação e do CEFEP;

– Colaborar com a Coordenação Executiva nos encaminhamentos de ações no seu regional;

– Executar atividades decididas conjuntamente pelo CEFEP e a coordenação executiva.

 

De modo particular, cada representante escolhido teria a seguinte missão no seu respectivo regional:

– Representar o CEFEP no regional em que atua, nas articulações junto as escolas e grupos de Fé e Política;

– Articular e animar as escolas locais de Fé e Política ou Fé e Cidadania existentes em seu regional;

– Acompanhar as escolas recém-criadas no seu regional;

– Motivar e dar suporte à criação de novas escolas;

– Dialogar com os/as egressos/as do Curso Nacional.

 

O mandato da Coordenação Ampliada é de dois (02) anos com a possibilidade de uma recondução. O processo de escolha se dará por meio da indicação das escolas existentes em cada regional. Nos regionais onde ainda não existem escolas será feito um processo posterior de escolha, a ser definido pela própria Coordenação Ampliada, podendo ser indicado, por exemplo, alguém que já participou do Curso Nacional ou que tenha feito algum trabalho similar no regional.

Depois de apresentada a proposta e aprovada pelos presentes, decidiu-se que os/as representantes da macro regiões do país na Coordenação Executiva, mobilizarão os regionais para fazerem a escolhas dos que vão representa-los na Coordenação Ampliada.

Além do assunto principal da pauta, também foi apresentado o projeto Encantar a Política, motivando as Escolas de Fé e Política locais e regionais a assumirem o projeto atuando como agentes multiplicadores do mesmo e fazendo a reflexão sobre as Eleições 2022 chegar a todas as comunidades.