ESCOLA DE FÉ E POLÍTICA “DOM PEDRO CASALDÁLIGA” PROMOVE CICLO DE DEBATES

ESCOLA DE FÉ E POLÍTICA PROMOVE CICLO DE DEBATES

A Escola de Fé e Política “Dom Pedro Casáldaliga”, da Arquidiocese da Paraíba – PB, promove no mês de maio um ciclo de debates, tendo o tema dos Direitos Humanos como eixo central.

A iniciativa está sendo realizada em parceria com a Fundação de Defesa dos Direitos Humanos “Margarida Alves”.

O ciclo de debates tem como proposta a promoção do conhecimento na temática dos Direitos Humanos através do resgate da memória de quatro nomes do catolicismo brasileiro em interface com as lutas contemporâneas de resistência e luta.

Os escolhidos foram:

  • Dom José Maria Pires, também como “Dom Zumbi” ou “Dom Pelé” – Arcebispo da Paraíba de 1965 a 1995 – sendo o primeiro Arcebispo negro na história da Igreja Católica no Brasil. Autor de 4 livros:  grito de milhões de escravas: a cumplicidade do silêncio (1983); A cultura religiosa afro-brasileira e seu impacto na cultura universitária (2014); Meditações diante da cruz (2015); O sacerdote, imagem de Cristo (2016).
  • Dom Helder Camara – Foi Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro no período de 1952 a 1964 e Arcebispo de Olinda e Recife entre 1964 a 1985. Primeiro Secretário Geral da CNBB, além de ser um dos fundadores da mesma. Em 2017 foi declarado como Patrono Brasileiro dos Direitos Humanos no Brasil através da Lei nº 13.581 de 26/12/2017. Foi o brasileiro com mais indicações ao Prêmio Nobel da Paz.
  • Dom Paulo Evaristo Arns também conhecido como “o homem do povo” e “o Cardeal da Esperança”. Foi Bispo e Arcebispo de São Paulo no período de 1966 a 1998 quando renunciou. Em 1973 se tornou Cardeal nomeado pelo Papa Paulo VI, participando de 2 conclaves (processo de escolha para um novo Papa), ambos em 1978. Autor de 57 livros, além da publicação de centenas de artigos escritos paras diversas revistas das quais foi redator. Uma das suas principais obras foi a publicação do livro: “Anos de chumbo: Brasil Nunca Mais”, que trata-se de uma pesquisa por ele organizada retratando a tortura utilizada pelo Regime Militar durante o período que esteve à frente do governo no País.
  • Dom Pedro Casáldaliga, patrono da Escola de Fé e Política de João Pessoa, foi Bispo da Prelazia de São Félix do Araguaia, no período de 1971 a 2005, numa região marcado por um alto grau de analfabetismo, marginalização social e concentração fundiária (latifúndio), onde eram comum os assassinatos. Conhecido internacionalmente por defender os direitos humanos, especialmente dos povos indígenas e marginalizados. Dom Pedro foi um dos fundadores do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) e da Comissão Pastoral da Terra (CPT), organizações da Igreja Católica brasileira que atuam na defesa da causa indígena, das comunidades tradicionais e dos trabalhadores do campo. Possui uma extensa obra literária e filosófica. São dezenas de textos, livros, artigos, cartas, poemas e até músicas, em português e espanhol. Toda a coleção está disponível ao público através sua biblioteca virtual. Para acessá-la, basta clicar aqui.

AINDA SOBRE O CICLO DE DEBATES

Os organizadores definiram como objetivo do “Ciclo de Debates dos Direitos Humanos: Resgatando a memória para esperançar, alimentar e fortalecer na luta”.

O ciclo contará com diversos convidados e será realizado de forma remota no canal da Fundação Margarida Alves. O link direto para o canal é o: bit.ly/CicloDH.

Serão 4 dias de debates, sendo que a abertura foi realizada no dia 05 de maio último e teve como tema: Dom Jose Maria Pires – um pastor ao lado do povo na luta pela terra”. O evento contou com a assessoria de Luíz Couto (professor universitário, sacerdote católico e político filiado ao Partido dos Trabalhadores) e Gleyson Ricardo (Movimento de Trabalhadoras e Trabalhadores por Direitos).

Na noite de ontem, dia 11 de maio aconteceu o segundo encontro e teve como tema: “Dom Helder Câmara – Uma voz que clama a favor dos/as excluídos”. A noite contou com a assessoria de Padre José Ernanne Pinheiro (integrante da comissão de Justiça e Paz de Brasília; assessor da CNBB; Fundador e diretor do Centro Nacional de Fé e Política “Dom Helder Câmara” até o ano de 2019, assessor de Dom Helder na Arquidiocese de Olinda e Recife) e Rossana Holanda (Associação de Mulheres do Porto do Capim)

No dia 18 de maio, o tema escolhido é: Dom Evaristo Arns – a vida em primeiro lugar”, tendo como assessores o Padre Luiz Antônio Oliveira (ordenado em 1975 na Arquidiocese de São Paulo por Dom Paulo Evaristo Arns. Foi Reitor do SERENE II e do Seminário Arquidiocesano da Paraíba. Atualmente é Pároco da Paróquia Menino Jesus de Praga) e Alexandre Guedes (Presidente da FMMA).

Findando o Ciclo, no dia 25 de maio, o terma será Dom Pedro Casaldáliga – Lutando contra todas as cercas” e contará com as assessorias de Ana Helena Tavares (Jornalista e biógrafa de Dom Pedro Casaldaliga) e João Irineu de França Neto (Animador cultural das CEBs, pastorais sociais e movimentos populares, como o Movimento Indígena)

Os encontros serão realizados as 19:30 hs e acontecerá de forma gratuita.

A ESCOLA DE FÉ E POLÍTICA “DOM PEDRO CASALDÁLIGA”

Equipe de Coordenação da Escola de Fé e Política Dom Pedro Casaldáliga
Equipe de Coordenação da Escola de Fé e Política Dom Pedro Casaldáliga

A Escola de Fé e Política “Dom Pedro Casaldáliga” tem quase duas décadas de funcionamento e a direção atual da mesma, tem realizado um trabalho de pesquisa de documentos e imagens dos primeiros encontros para registrar essa memória.

Está inserida no grupo de Escolas locais que integram a Escola Regional Nordeste 2 da CNBB, que contempla os Estados da Paraíba, Rio Grande do Norte, Alagoas e Pernambuco.

A Escola também faz parte da Rede de Escolas de Fé e Política existentes no Brasil, que se articulam ao Centro Nacional de Fé e Política “Dom Helder Camara” (CEFEP).