Escola Fé e Política realiza encontro com candidatos à ALEPE em Garanhuns

A Escola Fé e Política Irs. Juvenal Bomfim e Gabriel Hofstede promoveu neste sábado, 1o. de setembro, um encontro com candidatos à Assembleia Legislativa, no salão da Catedral de Garanhuns. O evento, com o tema: “Diálogos políticos: pontes para a sociedade do bem viver”, foi uma oportunidade para apresentação de propostas e de um contato mais próximo dos eleitores com os candidatos. Foram convidadas lideranças de todos os partidos que militam dentro do território da Diocese de Garanhuns. Destes, estiveram presentes: Antônio Bezerra (PC do B), Audálio Ramos (DC), Doriel (PT), Genivaldo Menezes (PC do B) e Joseneuda Assis (PC do B).

Os participantes perguntaram diretamente aos candidatos assuntos relacionados a segurança pública, educação, saúde e políticas públicas voltadas para os idosos. Também puderam ouvir as ações que cada um já pôde efetivamente desenvolver nos mandatos ou em outras atividades que já exerceram.

Na abertura, o Pe. Gabriel Hofstede afirmou, com a esperança e o entusiasmo que lhe são característicos, como a Política pode, de fato, melhorar a vida das pessoas e deu exemplos dessa mudança por meio de momentos históricos da Holanda, seu país natal. Ele declarou ainda que a avançada idade não é empecilho para ter viva a esperança de ver a redução das desigualdades no país que o acolheu.

Houve ainda a distribuição da Cartilha de Orientação Política lançada pelo Regional Sul 2 da CNBB em vista das eleições deste ano. O subsídio destaca como grandes preocupações para este pleito a descrença generalizada na política e nos políticos, que pode levar a um decréscimo nocivo da participação popular; bem como o acirramento da polarização, que tem fortalecido discursos de ódio, em detrimento da cultura do diálogo tolerante que a democracia exige.

Para Ângela Alexandre, uma das coordenadoras da Escola Fé e Política, “a noite foi proveitosa neste momento em que muitos estão se informando para decidir o seu voto. E a Escola pretende promover outros momentos visando um melhor acompanhamento dos mandatos pela sociedade local, pois um dos nossos objetivos é a conscientização de que o exercício da cidadania deve ser permanente e a nossa participação na democracia não se resume a votar a cada dois anos.”

Fonte Escola Irs. Juvenal Bomfim e Gabriel Hofstede

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *