Missão da Igreja na política – João Batista Libânio, sj

Missão da Igreja na Política

J.B. Libanio – BH fev 1988

Quadro teórico fundamental

Desde longuíssima data, a Igreja se vê às margens com a problemática da sua relação com a política. De fato, o poder político surge na remotíssima antiguidade quando as comunidades se organizam em sociedade de trabalho sob um comando geral. E na Grécia antiga, nasce a política, como teoria de Estado, quando lá se pergunta pelo melhor Estado a partir da pluralidade de unidades políticas fortes bastante, quer para não poderem excluírem-se mutuamente, quer também para que nenhuma delas possa sozinha dominar a outra. E no momento em que a Igreja deixando as catacumbas e passando de uma fase carismática pentecostal para uma organizativa se delineia mais claramente como instituição, defronta-se então com o Estado, com a política.

O termo política sofreu várias variações semânticas que necessitam serem explicadas a fim de evitar equívocos. Num sentido muito amplo, política significa a realidade global da vida social. Nesse sentido, toda ação que afete as relações sociais é política. Um sentido mais restrito, ainda, porém, bem vasto, se refere à concepção global da vida social (ideologia). Nesse caso, todas as concepções ideológicas são de certo modo políticas. Restringindo ainda mais, o termo política se reserva para ações que, ainda que não partidárias, se relacionam diretamente com o termo político serve para designar as ações que diretamente dizem respeito à obtenção e conservação do poder, sobretudo através dos partidos, do Estado, do governo.

Clique para obter o arquivo Missao da Igreja na Politica